quarta-feira, 22 de julho de 2009

É isso aí ...

Para todos nós, educadores, que acreditamos na Educação como meio de transformação social.

video

terça-feira, 21 de julho de 2009

Teias


Ao construirmos teias
sonhos se realizam.
Alguns se perdem nos cantos
de salas vazias
Outros se multiplicam e nos
ligam a diversas outras
teias ...
E assim tecemos o dia-a-dia.
Na luta constante pela sobrevivência;
nas inúmeras experiências;
nas feridas curadas;
nos amores "amados" ...
Assim tecemos, tecemos, tecemos.
Texto produzido em grupo no 1º Encontro em Montes Claros, dia 25/03/09.
Dinâmica: "A moça tecelã"

domingo, 5 de julho de 2009

Relatório da TP3

“O senhor ... mire e veja o mais
importante e bonito do mundo é isto:
que as pessoas não estão sempre iguais,
não foram terminadas,
mas que elas vão sempre mudando.
É o que a vida me ensinou.
Isso me alegra. Muitão.”
Guimarães Rosa

Período:
JUNHO

Data: 27/06

Atividade: Oficina da TP 3

Duração: 8 horas

Responsável:Professor-formador

Público:Professores cursistas


Inicialmente fiz minha apresentação já que novos cursistas integraram o grupo. Esclareci algumas questões de ordem técnica e administrativa e pedi desculpas pelos transtornos que ocorreram na entrega do material e definição do local do nosso encontro. Em seguida realizei a dinâmica do fragmento de uma música, texto ou poema. Foi um momento de apresentação e interação entre os cursistas. A dinâmica utiliza a técnica do letramento onde vários textos são lembrados, abordando a concepção sóciointeracionista, pois vemos a linguagem como um processo de interação social. Pudemos presenciar relatos emocionantes de professores com as mais diversas situações e histórias de vida. Fragmentos foram lidos, cantados, declamados, chorados, ... A dinâmica resultou num clima mais descontraído e motivador para o estudo da TP3.
Logo após apresentei novamente a metodologia do programa, sistema de avaliação, estudo das TPs, versão do aluno e do professor, o avançando na prática, portifólio, plantão pedagógico e o projeto que deverá ser executado pelo professor cursista ao longo do ano. Expliquei passo a passo o programa GESTAR II procurando sanar todas as dúvidas. Lembrei ainda que as oficinas serão interativas e que a reflexão sobre a teoria e a prática da Língua Portuguesa era nosso ponto primordial. Portanto, era necessário o estudo das TPs, o relato do avançando na prática e a discussão de estratégias de ensino-aprendizagem. Finalizei, pela manhã, com um vídeo motivador. Encerramos mais cedo para o almoço porque não tivemos intervalo para o lanche.
Ao retornarmos iniciei com os “Envelopes da linguagem”. Dividi os grupos e solicitei que cada grupo definisse seus próprios critérios de seleção e classificação dos textos. Foi muito interessante porque cada um de nós temos uma forma de ver o texto e classificá-lo. O objetivo era reconhecer e classificar pelo nosso conhecimento intuitivo de gêneros, refletindo sobre suas características. Alguns professores encontraram dificuldades em selecionar os textos diante de tanta variedade, outros não. Terminada a apresentação dos envelopes da linguagem iniciamos nossa discussão teórica sobre os gêneros textuais e os tipos textuais da TP3. Os textos de referência( Gêneros textuais: definição e funcionalidade, Marcuschi e Descrição e dissertação, Platão e Fiorin) deram suporte teórico para os questionamentos que foram muitos. Além da riqueza de atividades e conteúdos apresentados na TP3. Uma professora questionou sobre a definição dos tipos textuais( narrativo, descritivo, dissertativo,preditivo e injuntivo) alegando não concordar porque na revista Nova Escola a classificação era outra. Eu salientei que cada periódico, jornal, rádio ou televisão, seguiam tendências, opiniões, vertentes, ideais ou concepções diferentes. Mas que o Gestar tem como base os PCNs, uma concepção de ensino sócio-construtivista e textos teóricos que fundamentavam e validavam o conteúdo. Assim como o livro didático conceitua de diferentes maneiras um assunto por se tratar de autores diferentes.
Paramos para um lanchinho (patrocinado pelas formadoras: Áurea, Edleuza e eu).
Voltamos para as oficinas 5 e 6. Lembrando que os relatos do avançando na prática ficaram para o nosso próximo encontro.
Para realizar as duas oficinas dividi três grupos: um grupo com o texto “Poema tirado de uma notícia de jornal” de Manuel Bandeira(nosso homenageado na FLIP/2009); um com o texto “Bom dia” de Gil e Milton e o terceiro grupo com o texto do Jô Soares. As atividades apresentadas foram excelentes e puderam enriquecer a prática dos professores. Sugestões são sempre válidas.
Encerramos com a avaliação da oficina alertando a todos sobre a importância de participar e contribuir com o processo. Aproveitamos para preencher uma ficha de identificação, evitando dessa forma problemas de comunicação.
Sobre a próxima oficina ressaltei a importância do estudo da TP4, cujo tema era “Leitura e processos de escrita I”. O estudo enriquece e torna a discussão fluente e rica.
A pergunta motivadora para nosso próximo encontro é “Como você acha que leitura, escrita e letramento se relacionam?”
E assim ficamos com a certeza de que precisamos aprimorar e atualizar nossos saberes profissionais para nos tornarmos profissionais melhores e pessoas melhores.

Abraços,

Florência